Menu

Portugal está a crescer a bom ritmo

17/06/2017 - Mundo

Taxa homóloga temos crescido 3,4% com relação ao mesmo período de 2014, dois décimos a mais do que o avanço registrado no trimestre anterior, que resultou em um aumento de 3,2%. Na composição do crescimento destaca-se que a demanda nacional contribui em 3,9 pontos ao crescimento anual do PIB no terceiro trimestre do ano, o que representa seis décimos a mais que no trimestre anterior. Este bom comportamento do consumo interno teve o seu peso na demanda externa, que diminui a sua contribuição para o PIB trimestral em quatro décimos com relação ao trimestre passado e traz meio ponto negativo para o crescimento de nosso país. Ao analisar as variáveis do consumo interno perceberemos que o gasto das famílias experimenta um crescimento anual de 3,5%, uma taxa seis décimos superior à registrada no segundo trimestre. Por sua parte, a despesa das Administrações Públicas apresenta uma variação anual de 3%, nove décimos superior ao do trimestre anterior.
O setor externo é abrandou meio ponto o crescimento de nossa economia, principalmente pela desaceleração de seis décimos de efa para o crescimento das exportações, que passou de 6,2 para 5,6%. No entanto, ao entrar no detalhe o comportamento do nosso sector externo veremos dados como as exportações de serviços não turísticos experimentam um aumento de 13%, o que representa 2,7 pontos a mais que no trimestre anterior, e as importações de bens e serviços aceleram seu ritmo de crescimento, passando de 7 para 7,7%.
A marcha de nossa economia teve um impacto direto sobre o emprego, que, em termos de postos de trabalho equivalentes a tempo completo registra uma variação trimestral de 0,7%, embora em termos anuais, o emprego apresenta uma taxa de crescimento de 3,1%, uma décima superior à registrada no segundo trimestre. Esta evolução representa um aumento líquido de 512 mil empregos equivalentes a tempo inteiro em um ano. Por setores econômicos, a variação anual da agricultura é de 3,9%, a indústria registra um aumento de 2,5, no caso da construção desacelera 3,5 pontos e encontra-se em 6,3%, enquanto o crescimento do emprego em serviços aumenta de três décimos, até 2,9%.
Na União Europeia, se experimenta um crescimento trimestral positivo de 0,4%, um décimo a mais do que o registado na zona Euro, onde a atividade sobe 0,3%. Entre as principais economias europeias, a França apresenta taxas de crescimento superiores às do trimestre anterior, ao subir de 0 a 0,3%, a Holanda mantém um avanço de 0,1%, enquanto que a Alemanha, Reino Unido e Itália registam crescimentos inferiores aos do trimestre anterior, com descidas de entre um e dois décimos de efa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *