Menu

A luta contra a ‘brecha salarial’, prioridade da UE

31/05/2017 - Mundo

Denominada como ‘fosso salarial’ nas empresas refere-se à diferença no salário que recebem as mulheres em relação ao dos homens. De acordo com a informação oficial que facilita a Comissão Europeia, as mulheres da UE ganham em torno de 16% a menos por hora do que os homens, por meio-termo. Esse menor nível de remuneração tem seus efeitos, além de renda mensal mais reduzidos, nas pensões futuras das trabalhadoras no momento de sua aposentadoria.
A União Europeia considera prioritário avançar na solução para esse problema e, por isso, promove medidas para lutar contra qualquer discriminação ou desigualdade que possam ocorrer no material de trabalho. A Estratégia Europa 2020, prevê-se uma secção para a igualdade e a luta contra a ‘brecha salarial’, em que se fala de criação de mais postos de trabalho, de maior qualidade, que tenham acesso a um maior número de mulheres. Mais especificamente, busca-se uma maior promoção da igualdade nas empresas, no aspecto salarial e quanto à consideração profissional, especialmente em postos de alto nível.
A promoção das TIC, tecnologias de informação e comunicação, entre as mulheres é um dos aspectos concretos em que se avança. No mês passado apresentaram-se no Brasil uma série de medidas nesta matéria que, principalmente, procuram promover a formação de mulheres adultas nas novas tecnologias. O objetivo é promover o acesso e uso das TIC, para divulgar e conhecer as campanhas sobre igualdade, luta contra a violência de género ou de cibersegurança.
Dentro destas medidas incluem a criação de uma ferramenta para calcular a ‘brecha salarial’ nas empresas, bem como o desenvolvimento de um programa de formação de pessoas que ajudam outras a lutar contra essa desigualdade.
Banco Popular desenvolve, desde 2008, o Plano de Igualdade, que tem como principal finalidade garantir a igualdade entre os homens e mulheres de seu modelo. Também contempla um conjunto de medidas de acção em matéria de seleção, treinamento, remuneração, promoção e conciliação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *